ETFs: o que é e como investir neles?

Autor(a):

Os investidores de renda variável normalmente selecionam ativos como fundos imobiliários e ações para compor suas carteiras de investimentos de longo prazo. Contudo, muitos investidores não sabem o que é ETF.

Sendo assim, muitos investidores se esquecem ou não priorizam a compra dos chamados Exchange Traded Fund, ou ETF que pode ser uma alternativa interessante para fins de diversificação de carteira.

Nos últimos anos, o mercado de ETFs tem crescido bastante, principalmente o mercado americano destes ativos.

Mesmo que você não tenha algum ETF em sua carteira de investimentos, certamente você deve saber como este tipo de ativo funciona na prática.

Portanto, neste artigo, vamos explicar claramente o que é ETF e como é possível investir neles tanto no Brasil quanto no exterior.

O que é um ETF?

O ETF, ou Exchange Traded Fund, é um tipo de fundos de ativos que tem como principal base um indexador de referência.

Em outras palavras, um ETF funciona como uma espécie de fundo de índice da bolsa de valores que é composto por várias ações diferentes com pesos diferentes.

Isso quer dizer que a rentabilidade do ETF vai seguir exatamente esta distribuição de ações e pesos.

Só para exemplificar, o principal exemplo de ETF brasileiro é o IShares Ibovespa Fundo de Índice, ou mais conhecido como BOVA11.

O BOVA11 é composto por várias ações de empresas brasileiras com pesos diferentes na sua representatividade, conforme mostrado na Figura 1.

Figura 1: Principais empresas que compõe o BOVA11.
Fonte: https://www.blackrock.com/br/products/251816/ishares-ibovespa-fundo-de-ndice-fund

Ou seja, o BOVA11 vai replicar o comportamento de todo o conjunto de ações que fazem parte do seu índice de referência, inclusive no que diz respeito a sua cotação.

Por isso, a rentabilidade do BOVA11 vai ser composta pela rentabilidade de cada empresa que compõe o índice em função de sua contribuição.

Na prática, o índice bovespa é o principal indicador de desempenho das maiores empresas listadas na bolsa de valores e funciona como a base referencial do BOVA11.

Outro ponto importante é que assim como outros ativos de renda variável, os ETFs apresentam empresas que fazem o papel de gestão.

Ou seja, estas empresas conseguem melhorar o desempenho destes ativos com trocas de peso e, mesmo pela troca das empresas que compõe o índice.

Agora que você entendeu o que é ETF, vamos falar um pouco sobre outros pontos importantes para entender a base desse tipo de investimento.

Quais as principais vantagens e desvantagens do ETF?

Este ativo oferece algumas vantagens interessantes em comparação a outros ativos de renda variável como:

  • Pulverização – o investimento em ETF permite a compra de um conjunto de ações de empresas num único ativo;
  • Diversificação – no mercado internacional, você pode encontrar centenas de opções de segmentos diferentes para investir em ETFs.
  • Simplificação do investimento – você consegue comprar um índice que replica o comportamento de várias ações sem estudar cada empresa aprofundadamente;
  • Pagamento de dividendos – Assim como ações e fundos imobiliários, os ETFs internacionais pagam dividendos aos seus acionistas.
  • Liquidez – o mercado de ETF no exterior tem uma liquidez gigantesca, ou seja, a sua negociação é bem facilitada.
  • É um investimento passivo – as gestoras dos ETFs são responsáveis por “cuidar dos ativos” e fazer as movimentações necessárias dentro do regulamento e da estratégia do ETF.
  • Baixas taxas de administração – são cobrados valores relativamente baixos para que as gestoras executem o seu trabalho.

Portanto, investir em ETFs tem uma série de vantagens em relação ao investimento em outras aplicações financeiras e ativos de renda variável.

Como principal desvantagem desse tipo de ativo vejo que há a baixa flexibilidade na escolha de ativos, uma vez que as empresas são previamente escolhidas pela gestora.

Sendo assim, o investidor deve fazer uma análise minuciosa para ver se grande parte das empresas de um ETF estão dentro do seu racional como investidor.

Quais os principais ETFs brasileiros?

O mercado brasileiro de Exchange Traded Funds é bastante reduzido em comparação ao mercado americano de ETF.

Então, vou falar um pouco sobre os principais ETFs disponíveis como opções para investimento no Brasil.

Atualmente, em julho de 2020, existem 17 ETFs listados na B3, sendo os principais ETFs nacionais: BOVA11, IVVB11 e SMAL11.

BOVA11

Como citado anteriormente, o IShares Ibovespa Futuro de Índice, ou BOVA11 é um ETF baseado na replicação do Índice Bovespa-Ibovespa.

O BOVA11 foi inicialmente listado na B3 em 2008 e tem a gestão da Blackrock Brasil Gestora de Investimentos S.A. que cobra uma taxa de administração de 0,3 % ao ano.

Atualmente, o BOVA11 tem sua maior concentração em grandes empresas da bolsa como: banco Itaú (ITUB4), banco Bradesco (BBDC4), Itaúsa (ITSA4), Ambev (ABEV3) e uma das maiores empresas varejistas da B3, a Magazine Luiza (MGLU3).

De acordo com o site Status Invest, nos últimos 12 meses, o BOVA11 acumulou uma pequena desvalorização de – 4,12 % (Figura 2) e a cotação do BOVA11 hoje é de R$ 96,62.

cotação bova11 hoje
Figura 2: Cotação do BOVA11 nos últimos doze meses.
Fonte: Status Invest (2020).

Em janeiro de 2020, a cotação do BOVA11 bateu o valor de R$ 115,00 devido ao ótimo momento da economia brasileiro.

A cotação de hoje do BOVA11 é reflexo da recuperação da economia brasileira pelos impactos da pandemia de COVID-19.

IVVB11

O IShares S&P 500 Fundo de Investimento de Cotas em Fundos de Índice, ou IVVB11, é um ETF que replica o comportamento do S&P 500, ou seja, ele considera as 500 maiores empresas americanas como referencial.

Sendo assim, ao comprar o IVVB11, o acionista estará investindo num indexador que tem grandes empresas americanas como as gigantes Apple, Amazon e Facebook.

O IVVB11 também tem a gestão da Blackrock Brasil Gestora de Investimentos S.A. e está listado em bolsa desde o ano de 2014.

Nos últimos 12 meses, o IVVB11 apresentou valorização de 55,2 % com a cotação atual de R$ 184,75 com taxa de administração de 0,24 % ao ano.

SMAL11

O SMAL11, ou IShares Bovespa Small Caps Fundo de Índice é um ETF associado ao índice de desempenho de algumas Small Caps listadas em bolsa.

Ou seja, o SMAL11 replica o comportamento das empresas que tem um baixo valor patrimonial de mercado.

A figura 3 mostra a lista das empresas com maiores participações no ETF SMAL11.

Principais empresas que compõe o ETF SMAL11
Figura 3: Principais empresas que compõe o ETF SMAL11.
Fonte: https://www.blackrock.com/br/products/251752/ishares-bmfbovespa-small-cap-fundo-de-ndice-fund

A figura 3 mostra que o SMAL11 é composto por empresas como Via Varejo (VVAR3), Cyrela (CYRE3) e Grupo Fleury (FLRY3).

Em termos de cotação, no último ano, a cotação do SMAL11 valorizou 7,02 % com o valor atual de R$ 117,72.

Como investir em ETF?

Investir em ETF é bastante simples e não exige nenhum conhecimento mais específico do investidor que já sabe operar o homebroker.

Para investir em ETF no Brasil,o investidor deve comprar as cotas deste ativo através de uma corretora que irá intermediar o processo.

O procedimento é similar a compra de um ativo de renda variável como nas negociações de ações.

O investimento em ETFs no exterior só é possível através da abertura de uma conta numa corretora estrangeira que seja dedicada ao atendimento aos investidores brasileiros.

Após a abertura da sua conta numa corretora estrangeira, basta fazer uma transferência eletrônica de valores para a conta da corretora e começar a investir em ETFs similarmente ao que é feito num homebroker tradicional.

Para fechar este artigo…

Espero que ter contribuído para que vocês entendam de maneira simples o que é um ETF e quais são as vantagens deste tipo de investimento.

Além disso, o artigo discutiu quais são os principais ETFs nacionais e como é possível investir em ETFs de forma direta.

Em breve, novos artigos sobre ETFs!

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *