in

5 passos para organizar suas finanças pessoais

organizar finanças pessoais

Sem dúvidas, um dos maiores desafios de muitas pessoas é conseguir organizar suas finanças pessoais. A organização financeira ainda é considerada algo muito fora da realidade de diversas famílias brasileiras.

Mas, será que é possível ter um planejamento financeiro com o objetivo de buscar uma independência financeira no longo prazo? Sim, é possível criar um planejamento financeiro muito eficiente para favorecer a economia doméstica.

Além disso, quando a economia financeira é alcançada vai sobrar dinheiro para montar a reserva de emergência, ou simplesmente para investir na bolsa de valores.

Por isso, o artigo de hoje vai trazer 5 passos essenciais para organizar suas finanças pessoais e, consequentemente, almejar um futuro mais promissor através da independência financeira.

Quais são os 5 passos para organizar suas finanças pessoas?

Muitas pessoas podem pensar que é muito difícil conseguir equilibrar seu salário com seus gastos mensais, contudo se você usar as estratégias propostas nesse artigo, certamente saberá que é possível criar um planejamento financeiro que vai permitir que você tenha uma tranquilidade futura.

Com o objetivo de ajudar as pessoas a criar um sistema de organização de finanças, vamos propor 5 passos essenciais para auxiliar neste processo.

Passo 1: organizar suas finanças pessoais é sair da zona de conforto

Certamente, este é o maior desafio inicial para quem não está habituado a ter cuidado com suas finanças pessoais. No caso, sair da zona de conforto significa que você deverá deixar os velhos hábitos para traz com objetivo de ter o controle absoluto do seu orçamento.

Isso significa que você terá que abdicar de uma postura meramente observadora e buscar ser uma pessoa que está disposta a lidar com este desafio.

Assim, para que você consiga organizar suas finanças pessoais você terá que vencer a si mesmo em buscar de uma independência financeira futura.

Em seguida, vamos discutir mais alguns passos para quem quer ordenar as suas finanças adequadamente.

Passo 2: Comece hoje a sua transformação!

Em muitos casos, o ser humano leva algum tempo para começar a executar as tarefas necessárias do seu cotidiano. Alías, este é um dos maiores erros para quem quer começar a organizar suas finanças pessoais! Entretanto, começar a sua transformação hoje pode fazer a diferença na sua estabilidade financeira futura.

Então, deixe de procrastinar e aceita uma mudança que fará com que você tenha o controle total do seu dinheiro e vai permitir que a economia de recursos traga maior tranquilidade a sua família no longo prazo.

Lembre-se que na maioria dos casos os problemas financeiros podem ser evitados com autocontrole, disciplina, dedicação e muita organização!

Passo 3: Faça um planejamento financeiro mensal

Não me parece muito lógico querer organizar sua vida financeira sem que você saiba exatamente o quanto está gastando ou economizando mensalmente. Então, a organização e a disciplina são fundamentais para seguir este caminho.

Sei que inicialmente não será fácil, pois muitas pessoas terão que vencer o comodismo para sair da zona de conforto e colocar a mão na massa para fazer uma contabilidade de seus gastos mensais.

Para montar um planejamento financeiro mensal com objetivo de organizar suas finanças pessoais é necessário fazer um cálculo entre todos os seus ativos e passivos. Isso parece bastante complexo, mas espere aí que irei explicar a seguir!

Os ativos são os montantes financeiros que entram em sua conta bancária. Os principais ativos são:

  • O salário do emprego fixo;
  • Renda extra mensal;
  • Recebimento de aluguéis de imóveis físicos;

Em contrapartida, os passivos são gastos essenciais, não essenciais ou emergenciais que exigem recursos financeiros para serem quitados. Em outras palavras, os passivos são as despesas que em determinados momentos podem tirar a nossa tranquilidade, caso não sejam equacionadas.

Os gastos essenciais são  considerados indispensáveis como as contas de luz, água, telefone e internet. Estes gastos podem ser considerados recorrentes e você pode economizar.

Os gastos não essenciais são aqueles que você pode ter em determinados momentos, mas que não fazem parte do seu orçamento mensal básico como: pacotes de viagens, contas de restaurantes, entre outros.

Em último lugar, os gastos emergenciais são aqueles que acontecem por imprevistos como: conserto de veículos, compra de eletrodomésticos que estragaram repentinamente e gastos com cirurgias.

Então, a ideia para organizar suas finanças pessoais é basicamente colocar numa planilha todos os gastos essenciais, não essenciais e emergenciais durante 3 meses. Através dessa planilha, você poderá ver como está o seu balanço financeiro mensal e tomar as decisões para favorecer a economia familiar.

Passo 4: Corte os gastos não essenciais desnecessários

Sabe aqueles gastos não essenciais que você acha que não são significativos, mas que ao final de um ano tem um peso no seu orçamento? Pois é, eles farão a diferença nas suas finanças pessoais no longo prazo. Por isso, o ideal é cortá-los através de algumas estratégias que podem ser usadas no cotidiano como:

  • Não seja consumista ou imediatista, se não for necessário comprar, não compre!
  • Espere o tempo certo para comprar produtos em preços promocionais.
  • É possível economizar fazendo um belo jantar para sua esposa ao invés de sair todos os fins de semana para comer fora;
  • Cancele as assinaturas que você não usa.

Por exemplo, ao cancelar a assinatura de um serviço de streaming que custa R$ 30,00 por mês, no final de um ano você terá economizado cerca de R$ 360,00. Este valor poderia ser investido na bolsa de valores, por exemplo.

Então, o corte de gastos não essenciais pode representar uma poderosa ferramenta rumo a organização de suas finanças pessoais.

Passo 5: Tenha uma reserva de emergência sólida

O último passo importante para organizar suas finanças pessoais é montar uma reserva de emergência. Para isso, vamos explicar o que é reserva de emergência, certo?

A reserva de emergência é um montante que deve bancar suas despesas mensais por um período de 6 a 12 meses e que deve ser colocado numa aplicação financeira com alta liquidez e baixo risco.

Em resumo, a reserva de emergência é o capital que vai ajudar na sua sobrevivência e reestruturação financeira caso você perca seu emprego, por exemplo.

Normalmente, a reserva de emergência pode ser colocada nas seguintes aplicações financeiras:

  • Poupança;
  • Tesouro Selic;
  • Contas remuneradas de bancos digitais como: Nubank, C6 Bank e Banco Inter;
  • Fundos DI com liquidez diária;
  • CDB com liquidez diária.

Dessa maneira, caso seja necessário usar o dinheiro numa situação mais emergencial, você pode fazer o saque ou o resgate do montante instantaneamente para usá-lo quando for pertinente.

Conclusão sobre como organizar suas finanças pessoais

Em conclusão, é possível verificar que organizar suas finanças pessoais depende de uma série de fatores emocionais, econômicos e estratégicos para garantir que a pessoa controle suas economias.

Além disso, passos como montar um planejamento financeiro mensal e uma reserva de emergência sólida são essenciais para que a organização financeira seja feita de maneira adequada.

Um forte abraço,

Rodrigo Colombo.

What do you think?

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

BBDC4 – Dividendos das ações PN Banco Bradesco

fii tijolo ou papel

FII tijolo ou papel? Você sabe diferenciar estes FIIs?